O projeto “Orquestra Comunitária Mundo em Campanhã”, um desenvolvimento natural da “Orquestra do Lagarteiro”, é aberto a todas as pessoas da comunidade local, recebendo também pessoas em trânsito, que querem usufruir da experiência de produção musical. Pretendem incentivar-se novas formas de participação e cidadania, num enquadramento ético e com o envolvimento comunitário, através do diálogo musical e não só. Sendo a Orquestra constituída por pessoas com características, histórias de vida e formas de estar muito diferentes, o grupo tira partido do que as aproxima, numa convivência, nem sempre simples, mas sempre desafiante e compensadora.

A Orquestra trabalha de várias formas, sendo realizados ensaios do núcleo mais central e ensaios abertos com a comunidade e visitantes de diversas nacionalidades aos sábados de tarde. O projeto incorpora também a realização de concertos, na zona Norte de Portugal, em diversos contextos, desde escolas a lares de idosos e associações culturais e juvenis, e a animação de congressos em contexto universitário, só para mencionar alguns.

Do reportório da Orquestra fazem parte cerca de 30 canções, a maioria da tradição Portuguesa. Os seus textos têm vindo a ser discutidos e reinventados pelo grupo, para lhes retirar formas naturalizadas de discriminação das mulheres, incluindo o sexismo da linguagem, e traços de subordinação e dependência, de outros. Fazem também parte do reportório uma canção italiana de resistência e outra brasileira, e uma música latino-americana cuja letra foi criada a partir de palavras expressas pelo grupo a partir da escuta dessa música. Para além da aquisição de competências mais técnicas e da discussão da realidade, a partir da música, procuramos, com os textos que criamos e recriamos, trazer uma mensagem de esperança e força que mobilize uma ação social positiva e transformadora.

Além da possibilidade de experimentação conjunta e exploratória de diversos instrumentos, de interpretação musical, no interior do grupo e para um público mais amplo, a Orquestra permite acionar a reflexão sobre experiências individuais, e estimula a partilha e convivência de heranças socioculturais heterogéneas. É dedicada a máxima atenção ao bem-estar do grupo, o qual inclui pessoas em condições diversas de vulnerabilidade social. A Orquestra é dinamizada por uma equipa multidisciplinar que cruza saberes artísticos e de intervenção social para a inclusão através da música, num processo de troca, o mais natural possível.

O projeto nasceu, em 2012, a partir de oficinas de construção de instrumentos, prática instrumental e coral, e de oficinas de interação social e conhecimento pessoal, no âmbito do projeto “T(R)ocas e Transformas”, implementado entre 2012 e 2015 no Bairro do Lagarteiro, em Campanhã. Teve por base saberes experienciais e culturais individuais e coletivos, tomados como saberes válidos e potenciadores de maior sustentabilidade.

Eunice Macedo